Home | Notícias | Artes e saberes dos alunos do CMEI Irmã Dulce chegam à comunidade
14/11/2014 | 10:45

Artes e saberes dos alunos do CMEI Irmã Dulce chegam à comunidade

2014_14_11Natal (RN) – “Indagações, pensamentos e aulas de campo estimularam as crianças a construir artes e saberes. Agora, elas apresentam as produções resultantes do interesse em desvendar o universo que as cerca”, disse a diretora do Centro Municipal de Educação Infantil Irmã Dulce, de Natal (RN), Ariadna Barbosa, durante a abertura da VI Mostra Cultural:Assim se Explora o Mundo, com curiosidades e saberes.

A mostra expôs os trabalhos de 133 crianças do CMEI na faixa etária dos 2 aos 4 anos de idade. O evento aconteceu no dia 10 de outubro, aberto a toda a comunidade escolar (colaboradores e familiares), no pátio e nos demais espaços da instituição.

Selma Bedaque, assessora do projeto Paralapracá no município, diz ter ficado encantada com a produção dos alunos. “É importante ver o protagonismo das crianças, saber o que elas vivenciaram e contemplar os belíssimos resultados”, elogia. A assessora explica que a formação do projeto Paralapracá, mais especificamente no eixo Assim se Explora o Mundo, tem surtido um efeito positivo e produtivo nos CMEIs participantes. “Novos projetos têm surgido e outros têm se aperfeiçoado a partir do Paralapracá. Tenho observado uma mudança na sensibilidade dos professores e das crianças e uma maior parceria na forma de trabalhar. As crianças vão identificando o que querem saber e os professores vão conduzindo as atividades a partir desse interesse”, afirma.

O projeto Paralapracá é uma ação do programa Educação Infantil do Instituto C&A que visa contribuir para a melhoria da qualidade do atendimento às crianças na Educação Infantil, com vistas ao seu desenvolvimento integral. O projeto se desenvolve em aliança com secretarias municipais de Educação e possui dois âmbitos de atuação: a formação continuada de profissionais de Educação Infantil e o acesso a materiais de uso pedagógico de qualidade, tanto para crianças quanto para professores. A iniciativa é implementada em parceria técnica com a ONG Avante – Educação e Mobilização Social, de Salvador (BA). Integram o segundo ciclo do projeto cinco municípios: Camaçari (BA), Maceió (AL), Maracanaú (CE), Natal (RN) e Olinda (PE).

Exposição

Divididos em subtemas, os espaços do CMEI Irmã Dulce tornaram-se cenários para representar o hábitat das formigas e das borboletas e o fundo do mar. Os trabalhos utilizaram uma variedade de materiais recicláveis como tampinhas de garrafas e jornais. Foram utilizadas técnicas diversas para a elaboração das obras, como pintura individual e coletiva em tela; arte em mosaico; papietagem (técnica artesanal em que se utilizam papel  recortado e cola  para dar forma a uma escultura);modelagens; produção de textos coletivos e individuais. Foram produzidas maquetes, registro fotográfico e receitas culinárias.

Para a realização da VI Mostra foram incentivadas pesquisa por meio da exibição de vídeos e aulas de campo. Os alunos exploraram o Parque das Dunas e fizeram um passeio ao Aquário Natal. Para a diretora do CMEI, a mostra cultural também representa um momento de integração das crianças com as famílias. “Os pais conseguem visualizar a produção dos alunos, ficar próximos aos filhos e perceber a importância da Educação Infantil na vida das crianças”, afirma a gestora.

 

PESQUISAR NESTA SEÇÃO:





COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do programa Paralapracá. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou o direito de terceiros. Comentários que não respeitem os critérios aqui impostos ou que estejam fora do tema discutido serão excluídos.