Home | Notícias | Instituto Avisa Lá e Instituto C&A iniciam curso Cantos de Faz-de-Conta
28/08/2013 | 9:07

Instituto Avisa Lá e Instituto C&A iniciam curso Cantos de Faz-de-Conta

2013_28_08Barueri (SP) – O Instituto C&A e o Instituto Avisa Lá celebraram o Dia da Infância e o Dia Nacional da Educação Infantil, comemorados respectivamente em 24 e 25 de agosto, com uma nova iniciativa em andamento: o curso Cantos de Faz-de-Conta, cujas atividades começaram oficialmente em 19 de agosto.

A formação é voltada a profissionais de instituições de educação infantil parceiras do Instituto C&A nos programas Voluntariado e Educação Infantil e foi desenhada para acontecer a distância, em plataforma internet. A formação a distância é uma das especialidades do Instituto Avisa Lá, organização sem fins lucrativos com sede em São Paulo (SP) que busca contribuir para qualificar a prática pedagógica das redes públicas de educação infantil e de ensino fundamental.

O novo curso visa implementar projetos institucionais auxiliares à gestão da brincadeira na escola e construir competência profissional docente para planejar e gerir a oferta sistemática de jogos de regras e ambientes de faz-de-conta. Um total de 220 vagas da formação foi oferecido prioritariamente para instituições parceiras do Instituto C&A no programa Voluntariado e para Secretarias Municipais de Educação de Campina Grande (PB), Caucaia (CE) e Feira de Santana (BA), que implementaram com a instituição, entre 2010 e 2012, o projeto Paralapracá de formação de profissionais da educação infantil.

Silvana Augusto, coordenadora de projetos do Instituto Avisa Lá, é a responsável pela formação, e dá mais detalhes sobre o trabalho nesta entrevista concedida ao site do Instituto C&A. Doutoranda e mestre em educação pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (FE/USP), Silvana é professora de gestão para educação infantil do Instituto Superior de Educação Vera Cruz.

Em que consiste e qual o objetivo da formação de educadores de educação infantil preparada pelo Instituto Avisa Lá para o Instituto C&A?

Silvana Augusto – O curso busca promover uma reflexão institucional sobre a brincadeira na escola. A brincadeira é uma das principais atividades nas escolas de educação infantil. Ela é um direito das crianças e faz parte das diretrizes curriculares nacionais. Assim, ela precisa existir e existir com qualidade. Essa qualidade vem com condições criadas pelos professores, coordenadores pedagógicos e diretores e com materiais disponíveis na escola para essa função. Ou seja, na escola as crianças têm tempo para brincar? Como e com o que elas brincam? A qualidade da brincadeira não vem só com uma boa atividade proposta pelo professor, mas da articulação de toda a instituição. Nesse sentido, a formação propõe um trabalho em grupo no qual devem participar dois professores, coordenador e diretor de cada escola inscrita.

Como a formação está estruturada?

SA – O curso é todo a distância. É distribuído a cada grupo inscrito uma senha que dará acesso a textos, vídeos, podcasts e fóruns de discussão coletivos e específicos para cada função exercida na escola. O curso tem duração de quatro meses e as atividades acontecem a cada duas semanas. Na semana 1, os professores, coordenador e diretor recebem uma atividade que deverá ser desenvolvida na escola em que trabalham. Na semana 2, a equipe poderá apresentar os resultados para as formadoras do Avisa Lá e compartilhar a experiência com as outras escolas nos fóruns de debate.

A primeira tarefa realizada é o diagnóstico da situação da brincadeira em cada escola. A ação é feita pelos três atores (professor, coordenador e diretor) e cada um deverá observar o cenário a partir da sua perspectiva. No decorrer do curso, também haverá momentos de desenvolvimento de propostas para a instituição e de avaliação dos resultados. Assim, a especificidade desse curso é que ele incide diretamente no cotidiano da escola e na ação com as crianças.

Quais conteúdos serão ministrados?

SA – Conceito de brincar; papel da interação na brincadeira; papel do ambiente e dos materiais na criação de cenários e enredos para brincar; procedimentos para introduzir o jogo de regra como atividade coletiva; limites e possibilidades da intervenção pedagógica; repertório de jogos e brincadeiras; tipos de planejamento da brincadeira, projeto institucional como instrumento de gestão e de formação de professores; registro e análise de prática docente; e registro e análise de prática de gestão.

Como será a avaliação do curso? Que resultados serão avaliados?

SA – Como o curso tem metas a serem cumpridas, nós já criamos indicadores e instrumentos de avaliação que serão aplicados pelos próprios professores e gestores durante as atividades. Entre os itens a serem avaliados estão o aumento do tempo de brincar na rotina pedagógica da escola, a ampliação do repertório de brincar na escola, o uso adaptado de novos espaços para brincar, o aumento do número de tabuleiros e outros jogos de mesa, a qualidade dos registros elaborados pelo professor e a adequação do olhar do coordenador na avaliação do trabalho de brincar na escola. Além disso, teremos um questionário on-line para preenchimento dos professores, coordenadores e diretores sobre o curso em si.

Em sua opinião, o que de mais importante a formação agregará às instituições de educação infantil participantes?

SA – Um olhar sobre o planejamento da brincadeira. Isso porque, se para a criança o brincar é uma atividade espontânea, para os professores ela deve ser pensada, planejada e avaliada.

Como avalia a formação do profissional da educação infantil no Brasil?

SA – Temos uma vantagem em relação a outros países de que os profissionais de educação infantil, assim como das demais etapas, devem ter curso superior completo para atuar. Porém, há dois pontos a serem mencionados. O primeiro é que o nível de alguns cursos de pedagogia no Brasil é questionável. E o segundo é que a formação do professor não se dá apenas no curso de graduação com a teoria, mas, também, com a prática educativa ao logo de toda a vida profissional. Uma pessoa formada em história, por exemplo, não necessariamente está apta a ser professor daquela matéria. Daí a importância de cursos como esse que estamos organizando agora.

PESQUISAR NESTA SEÇÃO:





COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do programa Paralapracá. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou o direito de terceiros. Comentários que não respeitem os critérios aqui impostos ou que estejam fora do tema discutido serão excluídos.