Home | Notícias | Instituto C&A reúne jornalistas para debater a Educação Infantil
01/08/2014 | 9:23

Instituto C&A reúne jornalistas para debater a Educação Infantil

2014_01_08Fonte: Instituto C&A

Com o objetivo de dar maior visibilidade à garantia do direito à Educação Infantil no Brasil, o Instituto C&A realizou, no dia 23 de julho, um encontro com jornalistas. O evento aconteceu em São Paulo e reuniu nove editores e repórteres especializados em educação para um bate-papo com a professora Rita Coelho, coordenadora-geral de Educação Infantil da Secretaria de Educação Básica do Ministério da Educação (MEC).

Rita desenvolveu sua fala a partir da concepção de Educação Infantil que tem difundido com afinco à frente da coordenadoria: “Um direito da criança e um dever do Estado, que deve ser ofertado em uma instituição de ensino específica por profissionais especializados”.

A especialista lembrou que, apesar de estar presente na Constituição Federal de 1988 e na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), tal definição é ainda pouco conhecida pela sociedade em geral.

“Até 1988, o poder público só se responsabilizava pela formação das crianças maiores de 7 anos. A educação dos menores era responsabilidade da família”, explicou ela. “É importante que vocês jornalistas, como formadores de opinião, disseminem esta ideia e esta concepção”, disse.

Para Rita, é fundamental que o debate sobre a Educação Infantil não fique restrito ao acesso. “Há uma dívida do Estado de 500 anos em relação à Educação Infantil. Porém é importante que isto não fragilize a definição de uma ação de qualidade”, frisou. Segundo a coordenadora, “para que a criança tenha um desenvolvimento integral, que trabalhe sua identidade e tenha acesso a um amplo leque de experiências, é preciso valorizar os profissionais da área – fundamentalmente professores – e as instituições que prestam esse serviço, que são as escolas”, concluiu.

PESQUISAR NESTA SEÇÃO:





COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do programa Paralapracá. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou o direito de terceiros. Comentários que não respeitem os critérios aqui impostos ou que estejam fora do tema discutido serão excluídos.