Home | Notícias | Maracanaú fica entre os 12 selecionados para a II Mostra da Semana do Bebê
26/11/2014 | 10:38

Maracanaú fica entre os 12 selecionados para a II Mostra da Semana do Bebê

2014_26_11Dos 50 municípios brasileiros que se inscreveram para a II Mostra Internacional da Semana do Bebê, realizada pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef, na sigla em inglês) em parceria com o governo do Estado do Pará e com o apoio estratégico de diversas empresas que têm como público-alvo a primeira infância, apenas 12 foram selecionados para apresentar suas experiências exitosas. Desses, 11 são do Nordeste e um do Norte. Entre os municípios do Nordeste, três são do Ceará – Aracati, Russas e Maracanaú.

Realizado entre os dias 18 e 20 de novembro, em Belém (PA), o evento reuniu representantes e gestores da sociedade civil, do poder público e das secretarias de Educação, Saúde e Assistência Social, e abriu espaço para as apresentações de cidades de Portugal e Argentina. O objetivo da mostra é promover a troca de experiências entre países, estados e municípios e discutir formas inovadoras e efetivas de gerar impactos para a garantia dos direitos da primeira infância. Cada um dos trabalhos inscritos foi analisado por um grupo de especialistas do Unicef e de organizações parceiras.

A experiência de Maracanaú foi apresentada pela gerente de Educação Infantil do município, Solange Silvestre, na tarde do dia 20 de novembro. “O evento foi muito especial para todos nós. Possibilitou que pensássemos melhor sobre os contextos em que as nossas crianças estão inseridas e o que podemos melhorar para o seu bem- estar, suas aprendizagens e seu desenvolvimento”, diz a gestora. Solange Silvestre atribui o elevado número de municípios selecionados do Nordeste ao fato de a região vir garantindo um maior acesso às crianças nas instituições (creche e pré-escola), apesar de ainda não efetivar uma qualidade em seu atendimento, coerente com as necessidades desse público.

Além da apresentação de experiências nacionais e internacionais, a II Mostra Internacional da Semana do Bebê promoveu oficinas, mesas-redondas, cine-debate e atividades culturais e artísticas. Entre as mesas-redondas, uma foi reservada para a discussão sobre os Planos Municipais pela Primeira Infância: Conquistas e Desafios, encabeçada pela Secretaria Executiva da Rede Nacional Primeira Infância (RNPI).

A Semana do Bebê

Solange Silvestre ressalta que o apoio do Unicef tem estimulado cada município a olhar para seu contexto e se mobilizar por uma melhor qualidade de vida das crianças de 0 a 6 anos. Uma semana de mobilizações, por meio de eventos que deem visibilidade a esse público, é a estratégia adotada pelo Unicef para tornar o direito à sobrevivência e ao desenvolvimento dessas crianças prioridade na agenda dos municípios brasileiros.

Para Solange Silvestre, as Semanas do Bebê têm favorecido uma maior e melhor visibilidade às crianças e a classificação de Maracanaú na II Mostra Internacional da Semana do Bebê representa o reconhecimento de todo um trabalho que os profissionais envolvidos com esse público vêm desenvolvendo no município, explica.

Maracanaú realizou sua primeira Semana do Bebê em 2013. Essa primeira experiência garantiu-lhe a seleção para a II Mostra Internacional. “Em 2014 nós ampliamos e consolidamos o evento no município”, diz Solange Silvestre. Maracanaú possui, desde a primeira edição da Semana do Bebê, uma legislação específica que efetiva o evento no calendário do município (Lei nº 2.063/13).

O projeto Paralapracá marcou presença nos dois eventos da Semana do Bebê no município, que vem sendo realizada sempre no mês de setembro. O projeto tem promovido palestras e exposição dos materiais, que já são uma referência nas redes parceiras. A Mala e o Baú ficam expostos em um espaço (tenda) juntamente com outros materiais pertinentes à infância.

Qualidade para a Educação Infantil

Solange Silvestre destaca que a realização da Semana do Bebê confere credibilidade ao município, pois divulga experiências significativas de forma intersetorial na promoção do bem-estar da primeiríssima infância e na garantia de seus direitos fundamentais. O evento acontece com o envolvimento de todas as secretarias e outras instituições ligadas à infância, tais como: Unidades Básicas de Saúde da Família (Ubasf), centros culturais, hospitais, Centros de Referência da Assistência Social (Cras), Centro de Atenção Psicossocial Infantil (Caps), Centro Integrado de Reabilitação de Maracanaú (CIRM), entre outros.

“A realização do evento confere maior visibilidade e atenção da gestão municipal como um todo à Educação Infantil na perspectiva de se reconhecer que a criança do município é um sujeito com direitos, um ser do presente e que precisa estar em uma instituição acolhedora, que contribua de maneira significativa para o seu desenvolvimento”, comenta Solange Silvestre.

Tanto na primeira como na segunda Semana do Bebê todas as instituições de Educação Infantil da rede municipal de Maracanaú participaram ativamente e ofereceram uma grande diversidade de ações voltadas para as crianças. Entre elas, atividades como pintura, desenho, colagem do autorretrato das crianças; roda de conversa com mães, gestantes, puérperas e familiares da comunidade; musicalização e brincadeiras; leitura, contação de história, dramatização e expressão oral e escrita; painel sobre amamentação; e ações educativas para proporcionar a integração entre família e espaço escolar.

Para a assessora do projeto Paralapracá em Maracanaú, Iany Bessa, esta ampla participação das instituições é um ganho para todos que atuam em prol dos direitos da primeira infância: “Isso tem colaborado para que os profissionais ligados a esse público passem a perceber que a Educação Infantil vai muito além do cuidar e tenham um melhor entendimento das ações propostas nos documentos oficiais para esse segmento”, diz.

Ela acredita que a realização do evento ajuda as instituições de Educação Infantil a perceber a sua importância e a sociedade a compreender o direito das crianças de receber uma educação de qualidade. E que a Secretaria de Educação ganha aliados na missão de oferecer essa qualidade por meio da garantia de um atendimento específico e responsável para esse público.

A assessora observa ainda que uma etapa do caminho em direção à garantia dessa qualidade já vem sendo trilhado. E destaca como fator de grande relevância nessa trajetória a aliança entre a rede municipal e o projeto Paralapracá. O projeto, que tem como objetivo contribuir para a melhoria da qualidade do atendimento às crianças na Educação Infantil, com vistas ao seu desenvolvimento integral, assume estratégias de intervenção no apoio às redes no intuito de fomentar a consolidação de políticas públicas para a esse segmento.

“O Paralapracá tem contribuído significativamente no fortalecimento das práticas pedagógicas em nossa rede, o que confere um olhar mais apurado sobre as especificidades da primeira infância”, ressalta Solange Silvestre. A gerente de Educação Infantil do município observa que o impacto do projeto na rede vai para além das trinta instituições em que ele se faz presente, pois a Secretaria de Educação tem viabilizado ações formativas nas demais por meio de encontros mensais e utilização das leituras significativas disponíveis no material. “A equipe da Educação Infantil tem se nutrido e repensado sobre suas práticas”, diz.

Direito ao Brincar

Além das atividades oferecidas na mesma linha da I Semana do Bebê, a II Semana promoveu uma reflexão sobre o brincar na Educação Infantil. A assessora do projeto em Maracanaú ministrou uma palestra sobre o tema “O Brincar como Direito na Primeira Infância” e compartilhou com o público os conhecimentos disseminados durante as formações continuadas do projeto Paralapracá no eixo Assim se Brinca. De acordo com Iany Bessa, a plateia foi formada por mais de 500 profissionais da educação.

“Eu abordei o direito ao brincar e a legislação que trata do tema, além da importância do brincar para as crianças inseridas nas instituições de Educação Infantil”, diz Iany Bessa. A assessora conta que ao final da explanação respondeu a diversas perguntas sobre atividades que envolvem o tema e sobre a importância do espaço do brincar nas comunidades.

O projeto Paralapracá é uma frente de trabalho do programa Educação Infantil do Instituto C&A, realizado em parceria técnica com a Avante – Educação e Mobilização Social. O projeto foi concebido para atuar em duas linhas de ação complementares: a formação continuada de profissionais da educação e o acesso a materiais de qualidade, tanto para as crianças quanto para os professores e se desenvolve em aliança com secretarias municipais de Educação. Atualmente, no ciclo II, o projeto Paralapracá está presente nos municípios de Camaçari (BA), Maceió (AL), Maracanaú (CE), Natal (RN) e Olinda (PE). No ciclo I, o Paralapracá se desenvolveu nos municípios de Caucaia (CE), Jaboatão dos Guararapes (PE), Feira de Santana (BA), Teresina (PI) e Campinha Grande (PB).

PESQUISAR NESTA SEÇÃO:





COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do programa Paralapracá. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou o direito de terceiros. Comentários que não respeitem os critérios aqui impostos ou que estejam fora do tema discutido serão excluídos.