Home | Notícias | Professores da Educação Infantil, de redes parceiras do Paralapracá, estimulam contato com a natureza e são premiados pelo MEC
21/12/2017 | 11:41

Professores da Educação Infantil, de redes parceiras do Paralapracá, estimulam contato com a natureza e são premiados pelo MEC

Sentir os cheiros, os sabores, tocar a terra, cuidar da água e brincar perto da natureza. Essas foram as temáticas que levaram professores de Natal (RN) e Maceió (AL), cidades que sediam duas redes parceiras do programa Paralapracá (2013 a 2017), a vencer o Prêmio Professores do Brasil 2017, do Ministério da Educação (MEC). Para Maria Rita, professora do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Prof.ª Maria Aparecida Bezerra Nunes, de Maceió (AL), o Paralapracá teve um relevante papel no reconhecimento conquistado, uma vez que promoveu importantes transformações no cenário da Educação Infantil do município. “Com o programa Paralapracá, houve uma reflexão da prática pedagógica, fazendo-me ponderar o protagonismo da criança na construção do conhecimento”, disse.

Maria Rita foi vencedora da categoria estadual (AL) com o projeto Descobrindo a Natureza, também chamado Projeto Horta. Segundo ela, outra reflexão trazida pelo Programa foi a importância de estimular as crianças a explorarem a natureza. “Os eixos formativos propostos pelo Paralapracá nos ajudaram a atingir o reconhecimento dessa necessidade e importância de explorar a natureza. A premiação me deixou feliz e motivada a dar continuidade a esse trabalho gratificante, que só tem contribuído para a formação das crianças”, afirmou. Com a conquista do título de vencedora da categoria estadual, Maria Rita foi selecionada para a etapa regional do prêmio e concorrerá a um prêmio de R$ 7 mil , um troféu, uma viagem apoiada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), para participar de um programa de capacitação na Irlanda, e equipamentos de informática com conteúdo educativo para as escolas.

O projeto desenvolvido no CMEI Prof.ª Maria Aparecida Bezerra Nunes vem sendo realizado na instituição há três anos. “Como ele se mostrou uma prática que despertou o interesse das crianças, resolvi dar continuidade, proporcionando um ambiente agradável e propício para que elas pudessem explorar curiosidades, como, por exemplo, ter contato com legumes e verduras em uma horta, assim como animais e insetos desse meio”, disse Maria Rita.

Quem também demonstrou a potência do Programa para a contribuição da melhoria das práticas foi a professora Priscilla Ferreira de Castro, eleita destaque estadual (AL), recebendo uma placa em homenagem pelo seu desempenho, com o projeto Minha terra tem: aromas, cores e sabores, por meio do qual as crianças da Creche Escola Benevides Epaminondas da Silva embarcaram em uma sensível aventura. O resultado dessa viagem, conduzida pela proposta do eixo de exploração de mundo do Paralapracá, foi a investigação do campo sensorial, essencial para o desenvolvimento cognitivo, além da introdução de novos hábitos alimentares. “O projeto foi desenvolvido com a colaboração da coordenadora pedagógica Silvana Campelo e com o apoio das gestoras, que sempre nos remetiam a um novo olhar, proporcionado pela proposta que o Paralapracá trouxe para a instituição, que é a de contribuir para melhoria da qualidade do atendimento às crianças da Educação Infantil na perspectiva de seu desenvolvimento integral”, disse Priscilla.

Olhar para a natureza

Como diz a canção do Rei do Baião, Luiz Gonzaga, “lugar que tem chuva, tem felicidade”. No Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Professora Marilanda Bezerra, de Natal (RN), tem felicidade e criatividade. Assim, em um dia chuvoso, emergiu do CMEI o projeto Água, cuide para não faltar!, outra iniciativa reconhecida pelo Prêmio Professores do Brasil 2017, vencedora da etapa estadual em Natal (RN), concorrendo agora na etapa regional.

O bairro onde fica localizado o CMEI Professora Marilanda Bezerra apresenta dificuldades de abastecimento de água. A professora Midiã Paz, responsável pelo projeto, contou que, a partir do problema local, veio a ideia de desenvolver uma investigação sobre o tema da água com as crianças. “Surgiu, assim, a possibilidade de delimitar uma temática que fizesse parte do cotidiano das crianças, que fosse do interesse delas, e que, provavelmente, traria experiências significativas para elas, integrando o que já conheciam com aquilo que seria novo”, disse. Na mesma instituição, a professora Joelma da Silva recebeu o título de destaque estadual com o projeto Esporte: bom para brincar, para viver e para ter saúde.

O programa

O Paralapracá é uma frente de formação de profissionais da Educação Infantil, realizado pela Avante – Educação e Mobilização Social, em parceria com as secretarias municipais de Educação e com o apoio do Instituto C&A, que visa contribuir para a melhoria da qualidade do atendimento às crianças na Educação Infantil, com vistas ao seu desenvolvimento integral. Para isso, oferece formação continuada para formadores das Redes Municipais de Educação, valorizando os saberes de cada localidade e ampliando as referências teórico-práticas a partir das orientações nacionais para o segmento.

O Paralapracá foi lançado em 2010 como um projeto do programa Educação Infantil do Instituto C&A, originalmente focado na região Nordeste. Desde então, chegou a dez municípios, em dois ciclos de implementação. Em 2015, com a chancela do Guia de Tecnologias Educacionais do MEC, ganhou caráter nacional.

PESQUISAR NESTA SEÇÃO:





COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do programa Paralapracá. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou o direito de terceiros. Comentários que não respeitem os critérios aqui impostos ou que estejam fora do tema discutido serão excluídos.