Home | Notícias | Rede Arte na Escola destaca metodologia e materiais do projeto Paralapracá
13/11/2014 | 9:58

Rede Arte na Escola destaca metodologia e materiais do projeto Paralapracá

2014_13_11Teresina (PI) – A experiência formativa e os materiais de uso pedagógico do projeto Paralapracá foram apresentados como referência no encontro Norte e Nordeste da Rede Arte na Escola, realizado entre os dias 23 e 26 de setembro, no teatro da Universidade Federal do Piauí (UFPI), em Teresina. Iany Bessa, assessora pedagógica do projeto em Maracanaú (CE) e formadora da Rede Arte na Escola, ministrou no encontro a palestra “A dimensão lúdica na formação de professores na Educação Infantil: experimentações no eixo da arte”. Em sua apresentação, ela falou sobre sua participação no projeto Paralapracá e apresentou a produção resultante das práticas pedagógicas com as crianças nas instituições de educação infantil envolvidas na iniciativa.

O projeto Paralapracá é uma ação do programa Educação Infantil do Instituto C&A, concebida em duas linhas de ação complementares: a formação continuada de profissionais da educação e o acesso a materiais de qualidade, tanto para as crianças quanto para os professores. O processo de formação dos professores baseia-se no desenvolvimento de seis eixos: Assim se Brinca, Assim se Faz Artes Visuais, Assim se Faz Música, Assim se Faz Literatura, Assim se Explora o Mundo e Assim se Organiza o Ambiente.

Implementado em parceria técnica com a ONG Avante – Educação e Mobilização Social, de Salvador (BA), o projeto Paralapracá é desenvolvido em aliança com secretarias municipais de Educação. Em seu primeiro ciclo (2010-2012), a iniciativa apoiou os municípios de Campina Grande (PB), Caucaia (CE), Feira de Santana (BA), Jaboatão dos Guararapes (PE) e Teresina. Em seu segundo ciclo (2013-2015), o projeto é implementado nos municípios de Camaçari (BA), Maceió (AL), Maracanaú (CE), Natal (RN) e Olinda (PE).

A Rede Arte na Escola é uma iniciativa do Instituto Arte na Escola e está presente em 22 Estados brasileiros. A rede possui 47 polos, formados por unidades conveniadas, instituições de ensino e de cultura, que oferecem formação continuada em artes para professores do ensino básico da rede pública de ensino. Iany é coordenadora do polo Ceará da Rede Arte na Escola.

Durante a palestra no encontro da rede em Teresina, Iany abordou detalhes sobre a formação continuada do projeto Paralapracá ao longo do primeiro e do segundo ciclos do projeto, dando destaque aos eixos Assim se Brinca e Assim se Faz Arte. “Meu foco foi o primeiro ciclo, quando fui assessora pedagógica do município de Caucaia. Mas também apresentei algumas práticas já realizadas nas instituições do município de Maracanaú, onde também desempenho o papel de assessora no segundo ciclo”, conta a assessora.

Iany relata que o ápice de sua exposição foi a apresentação dos trabalhos das crianças das instituições de Educação Infantil contempladas pelo projeto. “Todos ficaram apaixonados pela proposta metodológica do Paralapracá”, afirma. Segundo ela, a ocasião também foi propícia para uma reflexão sobre o uso combinado dos materiais do projeto Paralapracá e da Rede Arte na Escola, que já são empregados conjuntamente por ela nas formações que realiza com os professores da rede pública de ensino de Maracanaú.

A compatibilidade das propostas chamou a atenção dos técnicos da Rede Arte na Escola. “Eles estão muito empenhados em ampliar os materiais para a educação infantil e demonstraram grande interesse em adquirir os que fazem parte da Mala e do Baú do projeto Paralapracá”, conta a assessora. No encontro, Iany também recebeu materiais da Rede Arte na Escola para serem distribuídos entre as assessoras dos municípios que participam do segundo ciclo do projeto Paralapracá.

O encontro proporcionou momentos de aprendizagem aos professores e alunos da rede pública de ensino que participaram de mesas-redondas, formações e palestras dentro dos temas educação e arte-educação. “Aconteceram discussões importantes sobre a formação dos professores de arte. Estudamos o ensino da arte na ciranda das linguagens, discutimos performance, teatro e paisagens sonoras, e fizemos trocas de como podemos nos tornar professores propositores de arte na escola”, destaca a assessora de Maracanaú.

 

PESQUISAR NESTA SEÇÃO:





COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do programa Paralapracá. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou o direito de terceiros. Comentários que não respeitem os critérios aqui impostos ou que estejam fora do tema discutido serão excluídos.