Home | Participe | Depoimentos

Depoimentos




Heraldina Simões

“Eita que esse povo explorando o mundo com sabedoria! E é isso que é determinante para a criança e para sua vida. Ali são plantadas sementes para o futuro. Agora me veio à memória um testemunho que recebi de um ex-aluno, nesses longos anos pela educação. Encontrei-me com ele e perguntei o que ele estava cursando. Ele respondeu: ’História na UFPE, professora, por causa daquelas visitas que a senhora fazia‘. Sinceramente, quase chorei. Tudo isso para dizer que esse evento de exploração de mundo é um marco na vida de nossas crianças e nós estamos contribuindo para isso. Então, AVANTE!”.

Heraldina Simões - coordenadora pedagógica e gestora da Escola Municipal São Bento, Olinda (PE) - 03/01/2018

Jacqueline Ribeiro de Lima

“O Paralapracá me impulsionou a estudar, rever minha prática, envolver minha equipe de trabalho e, acima de tudo, perceber melhor o universo da criança. Sou muito grata por todas as formações que recebi, tanto presenciais, que me instigaram e abriram novos horizontes em meu fazer pedagógico, quanto nos módulos que fiz on-line, que proporcionaram, de forma mais direta, as formações na escola. Gostaria de concluir todos os módulos on-line. Amo o que faço, daí minha paixão pelo Paralapracá”.

Jacqueline Christian Lucena Ribeiro de Lima, coordenadora pedagógica do Maria Eunice Davim, de Natal (RN) - 03/01/2018

Patrícia Azevedo

“Não teria como descrever em palavras o sentimento gostoso de participar disso tudo! Nesse contexto, chegou o AVA [Ambiente Virtual de Aprendizagem do Paralapracá], espaço virtual maravilhoso, no qual comecei incipientemente, sem perceber muito bem qual era o meu papel e quais as vantagens que eu teria ao participar ativamente das atividades propostas. Mais do que isso, da possibilidade de poder me tornar uma agente transformadora na instituição em que faço parte. Fato esse que já foi rompido, tanto pelas orientações das formadoras locais como da querida tutora Jana Fragata, que desempenhou um papel importante nessa maravilhosa trajetória da formação”.

Patrícia de Souza Azevedo, gestora pedagógica do CMEI Maria Eunice Davim, de Natal (RN) - 02/01/2018

Solange Silvestre

“Valorizar a equipe técnica é importante validando as ações do dia, estimulando experiências que potencializam a formação de cada uma. Tem coisa que vai além do nosso alcance, daí a importância do diálogo. Essa valorização passa também pela ampliação da equipe. Todo esse movimento que tem sido gerado na Rede, no campo da Educação Infantil, com os princípios do Paralapracá, sem a equipe técnica não teria consistência, não se sustentaria. A equipe técnica é o combustível que tem impulsionado esses movimentos”.

Solange Silvestre, gerente de Educação Infantil da secretaria municipal de Educação, de Maracanaú (CE) - 19/12/2017

Lúcia Feitosa

“O programa Paralapracá ampliou meus conhecimentos e proporcionou um reencontro com a arte por meio de reflexões e estudos. Quando participei do módulo, senti isso muito forte novamente, pois está riquíssimo, potente, e acredito que as trocas serão bem prazerosas. Gostei muito da explanação do vídeo apresentado na unidade I, justamente porque introduz o exercício da sensibilidade e nos mostra novas possibilidades no trabalho com as artes e as crianças. Portanto, continuemos neste percurso artístico e abertos a novas experiências”.

Lúcia de Fátima Feitosa, gestora geral da Creche Municipal Osmira Eduardo de Castro, em Maracanaú (CE) - 30/10/2017

Rosemeire Gomes

“É muito positivo quando percebemos que os momentos de formação contribuem para os avanços no CMEI [Centro Municipal de Educação Infantil]. O processo é muito envolvente e traz a reflexão e a busca. E isso nos empolga, pois nos sentimos acolhidas enquanto formadoras. Contudo, essa caminhada tem idas e vindas, alguns professores aceitam, se envolvem, já estão mais amadurecidos. Outros precisam de nossas mãos, da nossa ajuda… e assim vamos percorrendo o caminho, pela conquista de práticas ressignificadas, de vivências que respeitem a criança, seu protagonismo, seu fazer”.

Rosemeire Gomes, coordenadora pedagógica do turno matutino do CMEI Amor de Mãe de Camaçari (BA) - 30/10/2017